Introdução




Há quem goste muito de artesanato
Outros não lhe dão valor,
Cada um é o que é
Nem só se pode ser doutor.


José da Encarnação
Que pretendemos com SEIRA? Ou melhor quais são os nossos objectivos? Porquê SEIRA?
Com este blogue é nossa intenção, sobretudo, divulgar o trabalho de esparto realizado pelo esparteiro José Da Encarnação de Alcongosta: sistematizar e mostrar a importância histórica e cultural desta arte em vias de desaparecer. Na verdade, nos últimos anos realizaram-se bons trabalhos / estudos sobre este homem e a sua arte, até no estrangeiro, mas, a grande maioria, são documentos dispersos ou inacessíveis ao grande público, como sejam os trabalhos académicos. Acompanhando o artesão numa das últimas feiras em que participou, constatámos que muito do público que se acercava da banca não fazia a mínima ideia da utilidade das peças produzidas nem do seu valor histórico e cultural. Pretendemos dar um modesto contributo para o esclarecimento e compreensão da arte de trabalhar o esparto por parte do grande público.
Ficamos abertos, aliás, agradecemos antecipadamente a colaboração de todos os que se interessam por esta arte e, que de alguma forma queiram colaborar enriquecendo o blogue: enviando sugestões, textos, fotografias, vídeos, gravações, etc., etc.
Porquê SEIRA.
SEIRA: (Grande saco ou cesto de esparto, em forma de uma roda, utilizada nos lagares de azeite, em que se deitava a azeitona moída para espremer). É a mais emblemática das peças que saem das mãos do artista, a mais bela talvez, a mais importante do ponto de vista histórico e cultural e a mais difícil de fazer. Mesmo nos tempos em que havia mais de uma centena de esparteiros em Alcongosta, poucos conseguiam terminá-la. Por isso, escolhemo-la como símbolo e nome de blogue.
Façam o favor de nos ajudar a encordoar esta SEIRA. Divulguem-na e participem.
Bem Hajam!
L.Sérgio
Foto: SEIRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário